Nossa História

Em junho de 1982, na Biblioteca Pública Epifânio Dórea, com 14 bibliotecários presentes e mais o presidente da Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários (FEBAB) foi criada a Associação Profissional dos Bibliotecários de Sergipe. Por aclamação foi eleita para o biênio 1982-1983 a primeira diretoria, numa composição de nove cargos, empossada até o mês de dezembro de 1983. A primeira presidente foi a Bibliotecária Maria Auxiliadora Garcez, então diretora da Biblioteca Central da UFS.

Em janeiro de1984 assumia uma nova diretoria com mandato até o ano de 1986. Presentes 13 bibliotecários, um a menos do que na reunião de criação. A composição era de 12 cargos entre a executiva e o conselho fiscal. Neste momento constatou-se que a Associação, então criada em 1982, não tinha vida legal. Cuidou-se da legalização, enquanto entidade civil, junto ao Cartório do Décimo Ofício, Registro de Títulos, Documentos e Pessoas Jurídicas de Aracaju,Se. Mudou-se a sigla de APBSe para Aprobise. Foi aprovado o Estatuto e publicado em jornal de circulação diária, além de aberta a inscrição junto ao Cadastro Geral do Contribuinte (CGC).

A Associação começou a movimentar-se, sempre com programações comemorativas durante o Dia do Bibliotecário, Semana Nacional do Livro e da Biblioteca e alguns seminários, ciclos de debates e cursos, realizados sempre com a presença de profissionais de outros Estados.

Apesar do número reduzido de profissionais existente no Estado, apenas 30, e um número ainda menor de associados, apenas 22, a entidade, fundada em 1982, se tornou realidade em 1984. Priorizou-se uma pauta por questões sociais ligadas à Biblioteconomia: a necessidade de uma Biblioteca Pública funcional, um sistema de bibliotecas públicas e a criação de bibliotecas escolares. No dia 21 de março de 1988, a Associação, na pessoa do seu presidente, se fez presente na Assembléia Legislativa, para discorrer sobre a situação das bibliotecas públicas e escolares em Sergipe. Surgiu então a Lei que institui a criação de bibliotecas escolares no Estado, que nunca chegou a ser cumprida.

Na segunda gestão, 1984-1986, a quantidade de profissionais sócios já somava 30 bibliotecários. Na terceira gestão, 1987-1989, este número triplicou com o surgimento de novos Bibliotecários formados pelo Curso de Biblioteconomia da Universidade Tiradentes.

Justino Alves Lima, Bibliotecário da Biblioteca Central da UFS, foi presidente da Aprobise nas gestões 1984/l986 e l987/1989, ano da extinção da Associação criada em 1982.

A sete de maio de 1989 foi aprovada em Assembléia Geral a extinção da Associação Profissional dos Bibliotecários de Sergipe/Aprobise. Motivo: falta de quadros para dar continuidade ao trabalho da diretoria que após duas gestões não podia mais continuar por força do Estatuto. Foi dissolvida a Aprobise que teve uma participação efetiva no movimento bibliotecário sergipano.

Os anos passaram e, no ano de 1996 Bibliotecários então formados em Sergipe decidiram pela criação de uma nova Associação. Surge então a Associação Profissional dos Bibliotecários e Documentalistas de Sergipe – APBDSE, reaberta em 12 de julho de 1996. Criada como uma entidade profissional, de natureza cultural e social, de fins não econômicos, de duração independente e número de sócios ilimitados, filiada a Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários – FEBAB.